Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 19-07-2019 às 14:59

Paula Klien participa de mostra que fortalece laços entre Brasil e China através da arte

| Creditos: Divulgação

A exposição “Pincel Oriental” reúne obras sobre papel de autoria de Fan Zhibin, Fang Zhenghe, Fu Zeng, I Ban, Liu Mo e Shan Ren, adeptos da pintura tradicional chinesa, e da artista convidada Paula Klien, a única brasileira e mulher participante da mostra, cujo trabalho é desenvolvido com tinta chinesa (nanquim) e permite um contraponto pictórico com as obras dos artistas visitantes. A mostraficará até o dia 20 de janeiro de 2019 em exibição no Centro Cultural dos Correios.

A convite do projeto, os artistas chineses viajaram a Ouro Preto, Salvador, São Paulo e Foz do Iguaçu, partindo do Rio de Janeiro, a fim de desenhar e pintar a flora, a fauna, paisagens naturais e urbanas e figuras humanas destas cidades. O projeto resgata, num viés contemporâneo, o espírito das expedições artísticas realizadas por pintores europeus no Brasil no século 19, como o francês Jean-Baptiste Debret (1768-1848) ou o alemão Johann Moritz Rugendas (1802-1858), que imortalizaram, através de seu olhar, cenas do cotidiano brasileiro em suas obras.  

A ideia de trazer o trabalho da artista Paula Klien surgiu a partir da ligação de sua obra com a arte oriental. A artista criou uma técnica própria de característica fluida, orgânica e abstrata com chinese ink, que usa para representar vagas manchas imprecisas e tudo o que escorre sem que se possa agarrar em um mundo fugaz, sem formas definidas. Um estilo único, que oferece vastas possibilidades como meio imprevisível de rendição à espontaneidade. O silêncio, a transcendência, a entrega e a espiritualidade são fios condutores para a abrangente visão do conceito oriental de aceitação da transitoriedade. 

A pintura tradicional chinesa, conhecida como Guohua, divide-se em três categorias: pinturas de figuras, pinturas de paisagens e pinturas de pássaros e flores. A primeira enfoca a sociedade e as relações interpessoais; a segunda, a natureza e sua relação com os homens, enquanto a terceira destaca a variedade da vida natural. São ressaltados aspectos do universo e da vida humana através de formas, cores, ritmos e energia das pinceladas. Tradicionalmente é realizada sobre papel xuan, proveniente de Xuancheng, província de Anhui, feito de amoreira, bambu e juta, é fino, mole e resistente ao ataque de insetos e, por isso, muito durável. As tintas podem ser encontradas já prontas, líquidas, ou preparadas pelo artista no nhe-táe mediante raspagem de bastões sólidos de pigmentos, adição de água e mistura com a mó. Estas pinturas incluem, muitas vezes, caligrafias inspiradas pela paisagem e outras referências. Alguns dos artistas convidados também são caligrafistas, ofício considerado uma arte nobre na China.

A iniciativa deste projeto foi desenvolvida pela Associação de Academias Nacionais da China e artistas consagrados no país e promovido pela empresa State Grid Brazil Holding, Dell'Art e Ministério da Cultura, com o objetivo de estreitar o diálogo entre a China e o Brasil. A exposição e o livro associam as magníficas paisagens de clima tropical, subtropical e temperado com a grande miscigenação de raças, dando-lhes características e estilos muito próprios através do olhar de artistas chineses.

 

Serviço:

“Pincel Oriental”

Local: galerias B e C do Centro Cultural Correios, 2ª andar
R. Visconde de Itaboraí, 20 – Centro / RJ    Tel.: (21) 2253-1580
Horários: 3ª feira a domingo, das 12h às 19h  até 20/01/2019

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.