Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 12-12-2018 às 19:58

Laxante não ajuda a emagrecer e pode causar câncer

Pesquisa publicada pelo periódico Pediatrics indica que 20% das mulheres com 23 anos, mesma idade da Bruna Marquezine, afirmam terem usado laxante para emagrecer. Estudos também associam o uso do medicamento ao câncer colorretal.

| Creditos: PixaBay

A atriz Bruna Marquezine publicou no seu perfil no Instagram, que no passado utilizou laxante na busca do emagrecimento, por conta da cobrança pelo “corpo perfeito”. O medicamento provoca contrações intestinais e estimula a eliminação de fezes.

Críticas às medidas dos corpos não são exclusividades das celebridades: famosos e anônimos são atacados constantemente por tais comentários. É no estimulante intestinal que muitos buscam uma forma inadequada de emagrecer rapidamente. O dado é confirmado por pesquisa publicada pelo periódico Pediatrics: aos 23 anos, mesma idade de Marquezine, aproximadamente 20% das mulheres já usaram laxante para emagrecer.

“Esse número é grave e lança luz a um perigoso problema de saúde pública. O uso excessivo e inadequado de laxantes prejudica a absorção intestinal e causa desequilíbrio na concentração de minerais. Assim, aumenta-se o risco de desnutrição, desidratação e distúrbio hidroeletrolítico”, alerta Tomazo Franzini, médico endoscopista e diretor da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED).

O especialista afirma que laxantes podem causar a perda de peso justamente por interferir na absorção de nutrientes. Ou seja, com o medicamento, o corpo elimina água e sais minerais nas fezes, que são em geral líquidas, e reduz a sensação de inchaço. “Além de o emagrecimento ser passageiro, o uso do laxante acarreta alto custo à saúde, já que pode levar à deficiência nutricional e inflamações no intestino”.

Importante reiterar que laxante não são formulados para uso contínuo – o intestino pode se “acostumar” com a eles, tornando-se dependente e causar constipação – retenção das fezes. “A administração crônica pode lesionar os nervos intestinais e viciar. Assim, para ter o efeito desejado, é necessário aumentar a dose do medicamento”, adiciona o médico da SOBED.

 

Excesso de laxante pode causar até câncer

Em julho deste ano, o jornal científico Annals of Epidemiology publicou estudo que relacionou o uso de laxante ao maior risco de câncer colorretal (CCR). Quando a substância é a base de fibras, nota-se aumento significativo nas chances de desenvolver a neoplasia. “No Brasil, o CCR é o segundo tipo mais frequente em mulheres, responsável por quase 19 mil diagnósticos por ano (INCA). A partir da pesquisa divulgada no periódico e a ligação que faz com a doença, precisamos pensar a conscientização sobre o perigo do uso de laxantes para emagrecimento como uma das medidas para prevenção do câncer colorretal. Sobretudo ao considerar que o público feminino é o maior consumidor do medicamento para este fim”, reforça Franzini.

Setembro é o mês de prevenção do câncer colorretal, por isso, declarações como a de Marquezine salientam a necessidade de informar-se sobre a doença e condições que a predispõem.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.