Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 13-12-2018 às 13:24

Dia Mundial do Empreendedorismo: BPW Brasil uma organização que merece ser lembrada

O Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, que foi lançado em 19 de novembro de 2004, pela ONU (Organização das Nações Unidas) é comemorado em 153 países, entre eles o Brasil.

O Brasil já conta com mais de 24 milhões de mulheres empreendendo, nos mais diversos setores | Creditos: Divulgação

No filme que o Sebrae nacional divulgou para marcar o Dia Mundial do Empreendedorismo, neste ano, difundiu que as mulheres superam desafios e já conquistaram muitos avanços, mas falta muito a conquistar, principalmente nas áreas de ciência e tecnologia. O Brasil já conta com mais de 24 milhões de mulheres empreendendo nos mais diversos setores, e nas fotos estão muitas delas. A Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais - BPW Brasil, parceira do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, contemplou o assunto, em sua última Convenção Nacional, realizada em outubro, em Jurerê Internacional, tendo como anfitriã a BPW Florianópolis/SC, presidida pela antenada Romi Ruff. A ONG Feminina, por suas ações, campanhas, projetos e programas merece ser lembrada de forma especial nesta data.

O tema ‘Mulheres conectadas para gerar negócios’, foi abordado na XXX Confam, da BPW Brasil, através de palestras e talkshow, voltados a inovação e tecnologia, reunindo experts no assunto, sempre acompanhando as tendências. Na próxima Convenção, que ocorrerá em novembro de 2019, o assunto continua em pauta, e o tema já foi escolhido: ‘A Mulher e o Empreendedorismo do Futuro’, que na esteira de tantas mudanças colocará as suas associadas a par do que tem ocorrido, a exemplo de profissões que são extintas e de outras que se vislumbram no futuro, sendo o mote, da tecnologia o principal norteador.

Eunice Cruz, presidente da BPW Brasil destaca que a ONG Feminina cumpre o que está na sua missão e isso tem contribuído para os avanços no empreendedorismo, pois “agrega mulheres de negócios e profissionais, orientando e coordenando seu desenvolvimento pleno nas esferas de poder público e de mercado”. Na sua missão, a organização pretende ser ”reconhecida como um celeiro de lideranças femininas, independente de raças e credos, atraindo e mantendo personalidades femininas da comunidade, a empoderando, proporcionando trocas de experiências e aprimorando o empreendedorismo”.

Mariza Bazo, 1ª Vice-presidente da BPW Brasil, e coordenadora do Comitê de Projetos destaca que a organização tem trabalhado com muitas iniciativas, em prol do empreendedorismo e colocando as mulheres de negócios e profissionais num patamar que se preocupa com o tripé: pessoas, meio ambiente e recursos financeiros.

Projetos a exemplo da BPW Business Day, que criado e executado pelo Comitê de Negócios da BPW Brasil, coordenado por Zilda Zompero, que é também presidente da BPW Cuiabá MT, visando contribuir para o impulsionamento do empreendedorismo feminino através de feira de produtos e serviços networking e palestras, é uma das iniciativas apontada por Mariza,  sendo que já abraçaram o projeto a BPW Cuiabá, a BPW Goiânia e a BPW Tangará da Serra. 

O Comitê de Capacitação da BPW Brasil, coordenado por Natasha Bachi, da BPW Londrina/PR, também realiza um projeto interessante, o BPW Capacitação, criado por ela, e que  oferece cursos e palestras para capacitar as associadas e seus colaboradores para que tenham destaque no mercado de trabalho. Assuntos ligados a tecnologias sempre são abordados, a exemplo de  palestra especial sobre Facebook e Internet para empresas que tem mulheres em suas gestões.

O programa Business Net, uma Rede Nacional das Associadas da BPW por segmento de negócio, foi abraçado pela BPW Brasil, nele consta ainda a promoção de networking entre as associadas, tem um grande time de lideranças da BPW envolvido, com coordenação de Andreia Ferrari, da BPW Florianópolis/SC e Silvana Bastian, presidente da BPW Porto Alegre-RS. Participam também, a própria presidente Eunice Cruz (BPW Presidente Prudente/SP), Margarida Yassuda , primeira diretora secretária da BPW Brasil, pertence a BPW São Paulo/SP; Alison Mazza, presidente BPW Curitiba, Beatriz Peruffo, presidente BPW Bento Gonçalves/RS e Michele Zavadil – Diretora Financeira da BPW Porto Alegre/RS.

O Comitê de Capacitação da BPW Brasil, coordenado por Natasha Bachi, da BPW Londrina/PR, também realiza um projeto interessante, o BPW Capacitação, criado por ela, e que  oferece cursos e palestras para capacitar as associadas e seus colaboradores para que tenham destaque no mercado de trabalho. Assuntos ligados a tecnologias sempre são abordados, a exemplo de  palestra especial sobre Facebook e Internet para empresas que tem mulheres em suas gestões.

Nível local

Recentemente, dentro do Projeto BPW Capacitação, a BPW Tangará da Serra, presidida por Márcia Andrade, realizou um encontro em parceria com o Instituto Dale Carnegie exclusivo para mulheres dinâmicas e empreendedoras que foi considerado um absoluto sucesso e contou com a presença das associadas da rede e suas convidadas que puderam refletir sobre o tema "Controlando suas Emoções sob Pressão" pela condução do experiente Trainnee Vanderlei Rodrigues do Instituto Internacional Dale Carnegie, que finalizou o encontro com a aplicação de técnicas de controle para nos auxiliar no dia a dia do trabalho das empreendedoras. 

Não só os projetos da BPW Brasil são compartilhados. Em nível local Mariza enfatiza que as BPWs também tem ações que se destacam. Vale citar alguns dos projetos, inclusive fruto de compartilhamentos entre as BPWs. A BPW Cuiabá, por exemplo, criou o Vitrine BPW de Oportunidades, projeto que foi premiado em primeiro lugar geral, em uma das convenções da BPW Brasil, com exposições de produtos e serviços, palestras, workshops, desfile e oficinas.  O mesmo foi abraçado pela BPW Goiânia/GO, que já realizou com sucesso duas edições.

A BPW Cuiabá na última convenção da BPW Brasil, recebeu o primeiro lugar na categoria educação e cultura, por seu projeto 100 anos da moda, mostrando assim que a visão das mulheres de negócios está lançada para o futuro, mas não deixa de olhar para a história. Um dos maiores o projetos realizados pela BPW Brasil, o Março é Mulher, foi criado há 16 anos pela BPW Cuiabá, uma demonstração que o compartilhamento pode também vir da organização local, para a nacional.

Outro compartilhamento de sucesso, ocorreu com o projeto: Trocas Inteligentes criado pela BPW Porto Alegre/RS.  A BPW Brasília, presidida por Cristina Melo, uma das que abraçou o projeto, tem realizado várias edições, uma a cada mês. Trata-se de  um encontro cuja missão é o empoderamento feminino por meio do conhecimento, ação e união das mulheres.  é organizado pela coordenadora da BPW Brasília Jovem, Camila Ribeiro. Para se ter uma ideia da importância do evento gratuito, na décima edição do evento participaram três referências do empreendedorismo: Leoni Tomazela, diretora da Brasília School of Business e professora na Fundação Getúlio Vargas, falou sobre competências no mundo organizacional; Sara Bittar Cury, administradora e mestre em Gestão e Inovação em Hospitalidade e Turismo, debateu sobre o autoconhecimento na esfera pessoal; e Cassiana Abritta, diretora Administrativa-Financeira do Sebrae/DF, demonstrou a importância de como o autoconhecimento pode interagir com o empreendedorismo.

Na categoria Negócios, especificamente a BPW Presidente Prudente, presidida por Karina Silvério, recebeu neste ano o troféu de primeiro lugar com o projeto Mulher no Ecossistema do Empreendedorismo do Século XXI, coordenado pela vice-presidente, Vania Batista. O projeto foi muito inovador, pois ofereceu um curso para mulheres sobre como estruturar seu modelo de negócios por meio do método Canvas, visando fomentar a criação ou a reinvenção do plano de negócio. Envolveu inclusive investidores anjos de São Paulo e empresários da região para fomentar a ideia de investir em startups.

A BPW Campo Grande-MS, tem um projeto que já acontece há 19 anos, e que contempla empreendedoras de uma área pouco dominada pelas mulheres, a Agropecuária, setor de atuação da própria presidente da organização, Jussara Moraes, que estimula suas associadas criadoras a participarem de eventos ligados ao setor, o maior deles é o Leilão de Gado de Corte Mulheres BPW Expo Campo Grande.  É um mega evento no calendário da cidade. Ocorre, entretanto, que a visão voltada à sustentabilidade foi além da financeira. Este ano a organização conquistou na Convenção da BPW Brasil, o troféu de primeiro lugar na categoria de Responsabilidade social, com o projeto “A Responsabilidade socio/ambiental do empoderamentamento, feminino através de oficinas ecoempreendedoras”, coordenado por Ana Cristina Franzoloso e Eva Medeiros, a iniciativa visa a  realização de oficinas eco empreendedoras para oportunidades de trabalho e geração de renda, evidenciando o empoderamento como relevante ferramenta para o crescimento econômico e qualidade de vida.

Outro projeto que é interessante pelas histórias de sucesso no empreendedorismo é o BPW Business Chapter, realizado pela BPW São Paulo/SP, que segundo sua presidente Cláudia Pirani tem o objetivo de escrever a história de negócios das associadas, para um networking mais efetivo na rede.

A BPW Porto-RS Alegre também tem ações diferenciadas, a exemplo do Women Power - evento focado em fomento de oportunidades e negócios para associadas e expositores, e tem ainda a WCA Women´s Connection Academy – é uma academia digital para ajudar as mulheres a fazerem negócios usando mídias digitais.

Como métodos ágeis são essenciais para o gerenciamento de equipes, projetos e tarefas de uma startup. Com o tema “As ferramentas digitais para a produtividade”, a  BPW Goiânia/GO, presidida por Mara Suassuna,  realizou a primeira edição do projeto: Goiânia Women Startupweekend, juntamente com o Sebrae e a Associação Comercial de Goiânia-ACIEG. No workshop apresentou diversas ferramentas digitais para a realização de trabalhos de forma mais inteligente, melhorando a produtividade. Ocorrem no projeto aplicações utilizadas por milhares de empresas ao redor do mundo como forma de gerenciar projetos, integrar equipes, facilitar a comunicação e a execução de atividades.

Muitas vezes as iniciativas da ONG Feminina, além de propiciar a difusão dos negócios de suas associadas, também amplia a própria rede. É o caso do projeto Business Compartilhado, que a BPW Londrina/PR, presidida por Silvia Imaculada de Lima, realiza com sucesso. Três bases sustentam a ação: ampliação dos negócios das associadas o congraçamento entre elas, e também a ampliação da visibilidade da instituição, angariando novas associadas, o que é importante para novos networking. Segmentos diversos, em um mesmo espaço são expostos, como se fosse uma feira de produtos e serviços.

A BPW Curitiba-PR mostrou-se também inovadora ao criar com  exclusividade um brasão com a denominação:  "Woman Company Partner", que tem como objetivo identificar  as empresas que cumprem a igualdade de direitos de gênero e a valorização dos negócios da mulher, um dos desdobramentos do princípio número 1 do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas).

No campo da sustentabilidade, a organização também se destaca,  através de ação empreendedora da BPW Ijuí-RS, presidida por Tânia Maria Conrad, com o projeto, que desenvolve para disseminar polinização com abelhas sem ferrão, que recebeu o nome de “Mulheres Impulsionam o Néctar da Vida: Abelhas e Árvores”.

Além das BPW citadas, vale lembrar que outras BPWs em diversas partes do país, tem deixado suas valorosas contribuições, das mais antigas, a exemplo da Fortaleza/CE, presidida por Fátima Duarte, que conquistou suas sede própria, e potencializará  a integração das associadas e estimulará o avanço de seus projetos; a BPW Rio de Janeiro,presidida por Patricia Cáceres, que tem trabalhado fortemente o  tema Empoderamento Econômico das Mulheres, inclusive estabelecendo alianças  Intercultural, em parceria com o Sebrae e o Consulado Geral do Canadá no Rio de Janeiro; a BPW Caçador, presidida por Cleide Morona, que realiza sempre eventos aproximando grandes palestrantes com seu público, visando trazer sempre assuntos voltados a melhor performance das empreendedoras.

As BPWs mais jovens: Araçatuba/SP, presidente Zeide Furtado; Aracaju/SE , presidente Rosiney Silva; Bento Gonçalves/RS, presidente Beatriz Peruffo,   Dourados/MS,  presidente Evânia Ribeiro; Navirai/MS, Estela Prierto; Salvador/BA, presidente Marieide Araújo e Várzea Grande/MT, presidente Sônia Mazetto. Organizações que já dão seus primeiros passos no associativismo voltado ao empoderamento feminino, deixando suas marcas por importantes ações realizadas.

Em 1930 a fundadora da BPW Internacional, a americana Lena Madesin Phillips disse, "Não importa que estejamos vivas quando homens e mulheres conseguirem viver em perfeita igualdade de condições. Importa que façamos parte do processo de mudança". E o que deixou como legado, tem sido cumprido no Brasil e em mais de 100 países.

Sobre a BPW

Business and Professional Women – é uma Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais. É uma Organização Não Governamental – ONG, sem fins lucrativos, de utilidade pública e sem finalidade política partidária. É uma organização internacional, que conta com mais de 40 mil mulheres associadas. Fundada na Suíça em 1930, pela Dra. Lena Madesin Philips, hoje está presente em mais de 100 países, onde realiza inúmeros projetos que fomentam o empreendedorismo, a capacitação de lideranças e implementam projetos de responsabilidade social para melhorar a qualidade de vida de mulheres e meninas em todo o mundo. A BPW integra agências da ONU, ECOSOC, CSW, OEA, OIT e participa de eventos internacionais públicos e privados, que discutem, apoiam e fiscalizam o desenvolvimento das políticas públicas para mulheres e cumprimento dos acordos internacionais.

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.