Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 24-10-2018 às 00:33

Curitiba será sede do maior encontro da construção verde da América Latina

A 9ª Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo vai reunir a cadeia produtiva da construção sustentável para fomentar o conhecimento e a tecnologia voltados à geração de negócios para o setor

| Creditos: PixaBay

Atualmente, o Brasil é o 4º país no ranking mundial de edificações certificadas como sustentáveis (certificação LEED - Leadership in Energy and Environmental Design - certificação renomada no mercado imobiliário internacional, presente em 167 países). Há no Brasil hoje 1.308 projetos registrados e destes, 504 certificados. Os edifícios verdes alcançaram um patamar histórico, deixando de ser um privilegio das construções de alto padrão e chegando às escolas, creches, lojas de varejo, comércio, residências, hospitais, entre outras edificações, públicas ou privadas. Isso porque, esses projetos reúnem uma série de tecnologias e inovações que permitem a economia de recursos naturais, diminuem o impacto na geração de resíduos, aumentam a qualidade de vida e contribuem, diretamente, para o bem-estar das pessoas.

Terceiro estado brasileiro com maior número de registros de certificações, com 89 edificações, Curitiba sediará, de forma inédita, o principal evento de construção sustentável da América Latina. A 9ª Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo será realizada entre os dias 5 e 7 de novembro, no Salão Principal da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP).

O evento vai oferecer conteúdo técnico de científico aos profissionais, gestores públicos e acadêmicos de áreas como construção, arquitetura, engenharia, design, agronegócio, sustentabilidade, habitação, planejamento urbano e outras. Serão apresentadas mais de 40 Sessões Educacionais (palestras, apresentação de trabalhos técnicos), além de workshops, eventos de networking e visitas técnicas em edifícios de destaque. Confira os principais destaques abaixo.

A edição de 2018 será realizada simultaneamente a outros dois eventos, a 5ª edição do Smart Energy Paraná, voltado à eficiência energética e energias renováveis, e o ASHRAE Brasil Chapter, sobre a eficiência energética em edificações. Esses eventos têm por objetivo debater a importância da utilização de fontes renováveis de energia para o desenvolvimento, disseminar conhecimento técnico sobre o tema e promover a geração de negócios.

Segundo Felipe Faria, diretor executivo do Green Building Council Brasil (GBC Brasil) e presidente do Comitê dos GBCs das Américas pelo World Green Building Council, a sinergia entre os eventos é positiva e vai agregar valor à indústria de construção. “Essa edição do Greenbuilding Brasil será marcante, uma vez que tornamos o evento itinerante e a primeira cidade será Curitiba”, afirma. Ainda de acordo com o executivo, a escolha foi referenciada pelo protagonismo da região, que lidera o percentual de projetos certificados LEED Platinum, além de ser pioneira nas certificações GBC ZERO ENERGY e GBC CASA e CONDOMÍNIO.

Segundo Faria, o Brasil é um dos primeiros países a implementar a certificação - Certificação Zero Energy Building - voltada à aceleração da geração de energia por fontes renováveis, e ao conceito de geração distribuída. Ele explica que o World Green Building Council firmou compromisso no COP Paris, estabelecendo a meta de garantir a autossuficiência energética das novas edificações até 2030, e em um segundo momento, todas até 2050, para garantir a reduções das 84 Gigatons (GTon) de emissões, o suficiente para baixar a temperatura global em até 1,5ºC. “A meta foi proposta a 10 unidades do Green Building Council no mundo e o Brasil é um deles”, completa o executivo.

Para Bruno Martinez, presidente do ASHRAE Brasil Chapter, a sinergia formada entre ASHRAE Brasil Chapter, que atua pela eficiência energética e qualidade do ar interno, o GBC Brasil, trabalhando pelas construções verdes, e o Smart Energy, que atua em prol da energia renovável é muito forte. “Nossa expectativa é que, juntos, podemos passar uma mensagem mais completa para todo o mercado, de como é possível construir melhor e contribuir para o avanço do mercado da construção civil no caminho da sustentabilidade”, afirma Martinez.

Celso Kloss, coordenador da Smart Energy CIEI&EXPO, diz que com a união desses três eventos, a proposta é promover uma maior aproximação dos diferentes segmentos do setor de energias renováveis para discutir soluções e conhecer as principais novidades. “Afinal, todos os envolvidos têm temas complementares e um alinhamento muito forte na busca pelo desenvolvimento da sustentabilidade e energias renováveis”, afirma Kloss.

 

Destaques das sessões educacionais

Dentre as principais sessões educacionais que serão distribuídas ao longo dos três dias de evento, destacam-se:

- “Programa Global e GBC Zero Energy para a conquista das metas da COP Paris”. Palestrantes: Roberto Kishinami (Mestre em Física pela USP) e Maíra Macedo (Gerente de Relações Institucional e Governamentais no Greenbuilding Council Brasil).

- “FIEP: liderando a construção sustentável no estado do Paraná” – Palestrantes: Euclésio Finatti e Roberto Miller Neutzling (FIEP).

- “Automação como principal instrumento de gestão” – Palestrantes: Gilberto Dantas (Globlal Account Executive da Johnsons Controls Executive) e Fábio Carneiro (Executivo da Telefônica).

- “Zero Energy avança no Brasil” – Palestrantes: Alexandre de Biagi (Presidente da Coca-Cola Uberlândia Refrescos) e Guido Petinelli (Sócio-diretor da consultoria Petinelli).

- “Como os materiais impactam na redução do custo?” – Palestrantes: Paula Petroni (Technical Marketing Manager da Saint-Gobain). Moderadora: Luiza Junqueira (Arquiteta da Stroubjunqueira).

- “Desempenho operacional, o futuro dos greenbuildings” – Palestrantes: Wagner Oliveira (Mestre em tecnologia ambiental pelo IPT) e Luis Leal (Arquiteto e urbanista formao na PUC-PR).

- “Tendências e inovações na prática” – Palestrantes: Adriana Hansen (CTE) e Fábio Cirilo (Engenheiro Mecânico com ênfase em energia pela UNESP)

- “Nova forma de contratação de obras complexas – Case Unimed” – Palestrantes: Dr. Paulo Roberto Fernandes Faria (CEO da Unimed Paraná) e Ricardo Luiz Cansian (Engenheiro da RAC Engenharia)

- “Sessão especial - O promissor setor residencial: Oportunidades e lideranças” – Palestrantes: Ana Rocha Melhado (Engenheira da ProActive), Agatha Carvalho (Gerente técnica do GBC Brasil), Gabriel Raad (Sócio-presidente da Laguna), Marlus Doria (Sócio-diretor da MDGP participações e incorporações imobiliárias e Huma Engenharia) e Alfredo Neto (CEO da AG7).

- “Sustentabilidade? Isso já fazemos. Agora é inovar!” – Palestrantes: Vanessa Grunwald (Co-Fundadora da FOHAT), Anderson Benite (Anderson Benite) e Rosana Correa (Fundadora da Casa do Futuro). Veja a programação completa em https://evento.smartenergy.org.br/programacao/.

Panorama sobre a energia e as construções verdes – A energia e a construção civil são dois dos segmentos mais importantes para a economia e sociedade brasileira. Segundo dados do IBGE, a construção civil representa 11,3% do PIB do país (incluindo as atividades imobiliárias), enquanto que a energia representa 2,7%. Segundo mostra o Plano Nacional Energético – (EPE) para 2050, 48% do consumo de energia do país é proveniente de edificações, incluindo residências, edifícios comerciais e públicos e, até 2020, haverá um aumento de 148% no consumo de energia no setor de edificações.

No Brasil, 40% da energia gerada é proveniente de fonte renovável, grande parte de hidrelétricas, que representam três vezes a média mundial. Já no quesito energia solar, o país apresenta potencial de geração de 28.500 gigawatts GW. O crescimento do mercado de energia fotovoltaica em 2017 no Brasil foi de 256,48% e foram registradas 27.605 edificações com geração distribuída em maio 2017, contra 7.807 em 2016.

O Paraná produz 94,4% da energia gerada por hidrelétricas no Brasil e consome o equivalente a 17,1% da energia nacional e 59,5% do que é consumido em toda a região Sul. Trata-se do 5º estado com maior geração de energia fotovoltaica do Brasil. Em 2018, o Paraná registrou 2 mil edificações em micro e mini geração de energia, sendo 300 na capital e região metropolitana de Curitiba.

Em termos de certificação verde, a taxa anual de crescimento de edifícios sustentáveis no Brasil é de 41%. Já na região Sul é de 79,6%. A Região Sul se destaca pela qualidade dos projetos verdes certificados. Isso se verifica no percentual elevado de edificações certificadas LEED Platinum, maior nível da certificação verde. Ademais, a Região Sul lidera o número de projetos na certificação GBC ZERO ENERGY e Curitiba concentra o maior número de edificações registradas no GBC CASA e CONDOMÍNIO. Mais informações sobre as edificações estão no site do GBC Brasil.

Esse crescimento é o resultado dos benefícios que as construções verdes oferecem. Estudo da Universidade de Harvard aponta que os ganhos financeiros atrelados às mudanças climáticas e melhoria com saúde e bem estar oferecidos pelas edificações verdes são de 16,05 dólares por metro quadrado. Nesse cenário, de 2007 a 2016, o Brasil gerou uma economia total de 348 milhões de dólares, sendo 251 milhões em economia de energia.

Estudos também comprovam que as construções verdes são a melhor opção de negócios no setor imobiliário. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) analisou mais de 2.000 prédios comerciais na cidade de São Paulo, entre o 1º trimestre de 2010 e o 3° trimestre de 2014 e comprovou que as construções verdes recebem uma valorização por metro quadrado no aluguel de 4% a 8%. Também identificou que as construções verdes registraram taxa de vacância de 28,6% contra 34,1% nas edificações não certificadas. Outro ponto avaliado pelo estudo é que prédios verdes têm taxas de condomínio com valores entre 15% e 25% abaixo dos valores cobrados em edifícios convencionais.

  

Serviço:

Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo 2018

Data: 5 a 7 de novembro de 2018

Local: Salão Principal da FIEP (Av. Cândido de Abreu, 200 - Centro, Curitiba - PR)

Informações e credenciamento pelo site

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.