Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 11-12-2018 às 10:05

7 em cada 10 voos de táxi aéreo executivo são piratas

Cidade com a segunda maior frota de helicópteros do mundo – só perde para NY – assiste à concorrência desleal e à insegurança a que passageiros estão sujeitos

| Creditos: PixaBay

A Helimarte, empresa táxi aéreo há 19 anos no mercado, apesar de já contabilizar mais de 50 mil voos e 90 mil horas voadas no total, tem aumentado fortemente a atuação em Serviços Aéreos Especiais (SAE) como transporte de cargas, resgates ou vistorias – por causa da queda na procura por voos executivos. A diminuição do táxi executivo – transporte de passageiros fretados – é preocupante já que é resultado do aumento do táxi aéreo clandestino ou pirata – denominado “TACA” pela Associação Brasileira de Táxi Aéreo. 

O TACA é a utilização de aeronaves particulares para venda de voos fretados. “Por não passarem pelas diversas homologações e revisões exigidas pela ANAC, as aeronaves conseguem operar com preços muito abaixo das companhias homologadas como Táxi Aéreo, como a Helimarte”, diz Rafael Dyllis, diretor comercial da empresa.

A segurança dos passageiros é o maior risco do TACA. Pelas aeronaves não passarem por todas as revisões exigidas para serviços de Táxi Aéreo, ocorrem acidentes por todo o país. 

Enquanto a Helimarte “briga” ao lado da ABTAER para aumentar a fiscalização e punição das empresas piratas, a empresa cresce na área de SAE (Serviços Aéreos Especiais), tendo conquistado todas as homologações para todos os tipos de serviços possíveis para helicópteros:

- Combate a incêndio (quando a aeronave carrega água em tanques ao lado de fora para jogar em cima de queimadas);

- Vistorias territoriais (quando órgãos do governo ou particulares precisam mapear regiões)

- Fotografias aéreas para mapeamento (quando a aeronave faz imagens com equipamento especial)

- Serviços médicos (quando a aeronave se transforma em ambulância para transporte de pacientes)

- Transporte de cargas internamente ou externamente (quando a aeronave leva cargas pelo lado de fora de até 4 toneladas; ou dentro com até 400kg).

“Os serviços especiais cresceram 70% nos últimos 3 anos, enquanto o táxi executivo perdeu espaço. Enquanto conscientizarmos passageiros executivos quanto ao TACA e seus perigos, a concorrência continuará desleal”, diz Rafael.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.