Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 15-11-2018 às 03:31

Nunca realizou procedimentos estéticos faciais?

O cirurgião plástico Alexander Nassif dá dicas para quem vai se submeter às técnicas minimamente invasivas pela primeira vez

| Creditos: PixaBay

Fazer algo pela primeira vez sempre requer coragem. Quando o assunto é o primeiro procedimento estético facial isso não é diferente. Hoje, o mercado oferece diversas opções de técnicas com ações e finalidades diferentes que reforçam a importância do diálogo entre médico e paciente, para que a escolha mais correta seja feita. 

Escolher o médico, este é o primeiro passo para quem quer realizar alguma técnica. Saber se o profissional é habilitado e se é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SDB), de Cirurgia Dermatológica (SBCD) ou de Cirurgia Plástica (SBCP) ajuda a definir se os resultados obtidos no futuro serão os esperados ou não, já que todas as técnicas devem ser feitas por profissionais qualificados. Após, é a hora de escolher o tratamento. Para o cirurgião plástico Alexander Nassif (CRM-MG 39.633), a procura por cirurgias plásticas faciais tem caído ao longo do tempo, agora é a vez dos procedimentos minimamente invasivos, que podem entregar resultados semelhantes aos de uma cirurgia. “Pacientes cada vez mais jovens têm procurado por intervenções estéticas, por isso a toxina botulínica A, os preenchedores faciais de ácido hialurônico e a técnica do MD Codes, são tratamentos mais comuns para pacientes que nunca fizeram procedimento algum, pois não há cicatrizes e o período de recuperação é menor”.

E aí vem outra dúvida das pacientes: qual é o procedimento mais adequado para mim? A toxina botulínica A é indicada para as rugas causadas pelo movimento muscular da face, também conhecidas como dinâmicas. Esse tratamento suaviza as já existentes e também evita que novas surjam, atuando no relaxamento da musculatura facial, grande ferramenta no rejuvenescimento facial, inclusive quando usado preventivamente, como explica o especialista.  Além disso, a técnica permite a correção de assimetrias faciais, como por exemplo o levantamento das sobrancelhas.

Já os preenchedores de ácido hialurônico têm outra função e atuam reparando a projeção correta de cada ângulo, devolvendo volume às áreas onde a gordura e/ou estrutura foram perdidas e, ainda, suavizando rugas mais marcadas, quando a toxina botulínica A não é suficiente. A técnica de preenchimento facial tem evoluído muito, a mais inovadora é a MD Codes, que mapeia a face humana e permite que o médico devolva o volume e a estrutura facial apenas utilizando os preenchimentos à base de ácido hialurônico JUVÉDERM®.

O especialista destaca que não há uma idade limite para a realização dos procedimentos minimamente invasivos, mas que essa é uma decisão a ser tomada em conjunto com o médico. O doutor Alexander ainda alerta que antes de realizar qualquer técnica: “é importante saber os objetivos de cada tratamento, os cuidados que devem ser tomados antes e após a realização dos mesmos para que não haja dúvidas no futuro”. Todo procedimento pode ter intercorrências e a consulta médica é o momento ideal para esclarecer todas estas dúvidas, por isso faça do seu médico seu melhor aliado na hora da escolha da técnica.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.