Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 16-07-2018 às 04:59

Psicanalista argentina oferece apoio psicológico a imigrantes e refugiados

Psicanalista e fundadora do Projeto Ponte, ela é uma imigrante argentina que veio para o Brasil muito jovem por questões políticas. Ao chegar aqui, ela não teve ajuda psicológica e nem outro tipo de apoio. Segundo ela, esse processo foi bem difícil. Além

| Creditos: Reprodução Youtube/Scaramella Press

Oficializado em 2010, o Projeto Ponte oferece apoio psicológico e psicanalista a imigrantes e refugiados. Muitos deles chegam debilitados não só fisicamente, como também psicologicamente. Muitas vezes, sofreram na guerra e viram suas famílias serem assassinadas, foram vítimas de boicotes financeiros e tiveram documentos roubados ao tentar sair da sua realidade e buscar uma melhor.

Por terem passado por tamanho trauma, precisam de alguém que os escute, dando a eles voz e lugar para que possam reconstruir sua história. Um desses casos foi de um imigrante doente que tentou procurar tratamento em diversos países no continente africano. Não achando, veio sozinho ao Brasil. Ao chegar aqui, os médicos do hospital acharam que ele estava com ebola e, por isso, mantiveram-no isolado. Porém, não era ebola que ele tinha.

Em situações como essa, o Projeto Ponte vê a importância de ter alguém que olhe e escute essas pessoas. O maior sonho do projeto é que o respeito às diferenças, a coexistência entre culturas e a possibilidade de viver e conviver na cidade façam parte da realidade de quem procura abrigo por aqui. Afinal, eles querem ver e ser vistos. O grande desafio enfrentado pela Liliana é tornar o projeto cada vez mais visível e, com isso, ajudar o maior número de pessoas.

A coragem de Liliana a fez reconstruir não só seus, mas também os sonhos de quem passou pela mesma situação. Isso a torna uma mente diferente.

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.