Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 20-10-2018 às 08:22

Brasileiro é o menos confiantes com mercado de trabalho

Pesquisa abordou cinco temas: mercado de trabalho, aumento salarial, conquista de novo emprego, promoção na carreira e desenvolvimento de competências profissionais

| Creditos: PixaBay

O profissional brasileiro é um dos menos confiantes com o mercado de trabalho e oportunidade de emprego. É o que aponta o Índice de Confiança Profissional, levantamento realizado em 37 países onde a Michael Page atua para analisar as percepções que os profissionais têm em relação ao atual mercado de trabalho.

A pesquisa, realizada mundialmente no primeiro trimestre deste ano, contou com as respostas de 18131 profissionais que se candidataram a uma vaga de emprego por meio do website da companhia. A enquete abordou cinco temas: mercado de trabalho, aumento salarial, conquista de novo emprego, promoção na carreira e desenvolvimento de competências profissionais.

De acordo com a amostra, o executivo do Brasil aparece apenas na 26º colocação (juntamente com a África do Sul) quando questionado se o mercado de trabalho está favorável. Os dados apontam para 61% de confiança dos profissionais brasileiros ante 66% da média global. Entre os mais confiantes aparecem Indonésia (79%), Estados Unidos (78%) e índia (77%). No mesmo período do ano passado os brasileiros ocupavam a 27º posição, apontando para um empate técnico neste ano.

Quando o assunto foi encontrar uma oportunidade de emprego em menos de três meses, os trabalhadores do nosso país acabaram figurando entre os menos confiantes, na 26º posição. Ficou abaixo também da média global (67%) ao ter 60% de respostas positivas sobre esse tema. Quando comparado com igual trimestre do ano anterior, 58% dos brasileiros acreditavam na possibilidade de conseguir um trabalho em menos de 90 dias ante 63% da média global.

“Apesar da sensível melhora nos recentes indicadores de ocupação de emprego, o executivo brasileiro ainda está muito cauteloso com o mercado de trabalho. Ainda há reformas importantes a serem realizadas no Brasil e isso acaba refletindo no ânimo desses profissionais na hora de avaliar o mercado de trabalho”, conta Leandro Pedrosa, gerente executivo da Michael Page.

Brasileiros mais confiantes com promoção na carreira, aumento salarial e desenvolvimento de competências 
A promoção na carreira foi outro assunto abordado pelo Índice de Confiança Profissional. E desta vez os profissionais brasileiros figuraram entre os mais confiantes, aparecendo apenas na sexta posição. Os executivos do Brasil que acreditam em uma promoção neste ano somaram 73% contra 62% da média global. O otimismo dos trabalhadores do nosso país em relação a este tema aumentou seis pontos percentuais neste trimestre quando comparado ao mesmo período anterior, passando de 67% para 73%.

Outro tema onde os profissionais brasileiros demonstraram mais confiança foi relacionado ao aumento salarial neste ano. O Brasil ficou na 16º posição, com 63% de respostas positivas nesse sentido, e à frente da média global, com 61%. No mesmo trimestre de 2017 os resultados não foram tão animadores com esse assunto. Os executivos do Brasil que acreditavam em um acréscimo em sua remuneração representavam 53% ante 56% da média global.

No quesito desenvolvimento de competências profissionais, os trabalhadores brasileiros também estão mais otimistas em relação à média dos países participantes da amostra. Enquanto no Brasil 84% acreditam que conseguirão desenvolver competências profissionais em até 12 meses, o resultado médio foi de 80%.

Sobre a Michael Page
A Michael Page é um dos maiores players mundiais em recrutamento especializado. Fundada na Inglaterra em 1976, é especializada em recrutar candidatos em middle e top management, em todo o mundo, sendo a consultoria de recrutamento líder e pioneira na América Latina. Atualmente possui mais de 5.400 colaboradores em 36 países.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.