Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 19-08-2018 às 01:32

Preenchimento facial como prevenção do envelhecimento ganha mercado mundial

| Creditos: PixaBay

Dermatologista brasileiro que realiza palestras em todos os continentes, explica as aplicações da técnica, diferenças para homens e mulheres e novidades sobre um dos procedimentos mais procurados para rejuvenescimento. O conteúdo completo está no Atlas que o médico lança no mercado

O preenchimento facial é há alguns anos um dos procedimentos mais procurados – e eficazes – para promover rejuvescimento. Conhecer a fundo a anatomia facial,  as características de padrão masculino e feminino, e entender de beleza e senso estético são diferenciais que ganham o mundo e que projetaram o dermatologista carioca Dr. André Braz nesse segmento. Para compartilhar esse conteúdo já apresentado pelo mundo em palestras, aulas e coordenação científica de eventos de Dermatologia, o médico lançou o Atlas de Anatomia e Preenchimento Global da Face (Editora GEN) que tem 576 páginas e 500 ilustrações que mostram a sua técnica. A obra tem coautoria da médica Thais Sakuma.

Muitos não sabem, mas o preenchimento facial pode servir à prevenção do envelhecimento, desde que haja indicação para isso, como explica o médico. “ A questão do envelhecimento, e vemos muito isso nas mulheres, que sofre uma baixa do hormônio estrogênio a partir dos 35 – 40 anos, gera uma atrofia nos compartimentos do rosto, a pele dá uma retraída. A mulher diz que começou a sentir o peso da idade.  Quando  se instala a menopausa ou até mesmo depois (por volta de 50 anos), quando começa a aparecer o sulco nagiano, bigode  chinês, e outros, é maior ainda essa percepção devido a baixa de hormônio”, explica Dr. André Braz.

Depois dos 60 anos, Braz explica que ocorre uma reabsorção óssea, o crânio desgasta mais e a sensação de perda de volume é ainda maior. “Quando a gente detecta essa perda de volume lá no início, muitas vezes por volta dos 35 anos, já é interessante repor o volume que está perdendo para literalmente não deixar aquela área cair. Não se deixa formar o sulco. Em rosto mais finos percebe-se essa perda de volume mais cedo, é como uma murchadinha no rosto. Previne-se porque há indicação para fazer”, afirma.

Em uma paciente de 25 anos não se pode fazer o procedimento já pensando que ela vai perder lá frente. “Fazemos o procedimento quando já se inicia a perda do volume. Se o médico deseja, por exemplo, refinar o rosto dessa  menina de 25 anos porque ela não tem as proporções do rosto bonitas, por exemplo (queixo retrognata), pode-se preencher para  melhorar a harmonia do rosto. Se as medidas do rosto estão mais proporcionais e mais bonitas, eu também estou prevenindo o envelhecimento no futuro, pois a sustentação do rosto dela será melhor. Melhorando o formato e a assimetria , tem-se a sustentação desse rosto. É um trabalho de escultura mesmo e esse paciente vai envelher melhor.Reitero que tem que haver indicação. E eu geralmente gosto de tratar a partir dos 18 anos”, orienta o dermatologista.  

Criador da técnica de preenchimento com uso de microcânulas, Dr. André Braz explica que há opções no mercado de preenchedores que são permanentes e não permanentes  (absorvíveis). “Não gosto de usar os permanentes, dependendo do caso há riscos de complicações.  Eu uso os que são a base de ácido hialurônico, substância que temos em nosso corpo.  Eles têm várias apresentações e quanto mais profundo se injeta, mais denso é o ácido hialurônico. Mais superficial, mais leve ele deve ser para não aparecer o produto na pele. São produtos mais seguros e reabsorvidos pelo organismo com o tempo. Com a produção de colágeno, o resultado vai sendo cada vez melhor. O resultado é imediato da aplicação do ácido hialurônico e a duração é longa.  Na minha opinião esse é o grande procedimento para rejuvenescimento do rosto”, explica Dr. André.

É fundamental que o médico que injeta tenha técnica, saiba de anatomia, tenha senso artístico e  visão artística do que é beleza, na opinião do médico. “Não há receita de bolo, esse trabalho é muito personalizado. É também fundamental entender o uso de ácido hialurônico para cada camada da face”, alerta Dr. André. 

“O bom preenchimento, ninguém percebe o que foi feito, percebe-se sim que os pacientes estão mais bonitos, mais saudáveis. Esse é o meu conceito de naturalidade no meu trabalho que enfatizo sempre”, finaliza o autor do livro.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.