Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 12-12-2018 às 19:59

Saiba quem são os vilões da saúde da coluna

Ortopedista dá dicas de como combater cada um deles

| Creditos: PixaBay

A prevenção é o melhor remédio. Esta afirmativa faz parte do entendimento da maioria das pessoas, porém, colocar em prática não é tão simples assim, um exemplo prático são os descuidos recorrentes com a saúde da coluna. As pessoas tendem a não se preocupar com ela, até sentir alguma dor. Muito mais do que alicerce, a coluna vertebral une as estruturas do corpo. Tamanha importância tem um preço: uma vez negligenciada, ela tende a adoecer de tal forma que pode levar até a incapacitação. “A nossa coluna começa a sofrer processos degenerativos a partir da segunda década da vida, devido à necessidade de compartilhar duas funções mecânicas antagônicas: sustentar o peso do tronco e ao mesmo tempo ser flexível”, explica o ortopedista e coordenador do Grupo de Cirurgia Minimamente Invasiva da Coluna (GCMIC) do Hospital BP Mirante (Beneficência Portuguesa).

Abaixo o médico explica quais são os principais vilões da saúde da coluna e como evitá-los.
 
Estresse – O estresse faz uma revolução no corpo humano, pois gera uma situação de alerta no organismo. Durante uma situação de tensão, há grande liberação de substâncias excitatórias e inibitórias na circulação sanguínea para maximizar a defesa e fuga. Essa mobilização reduz a circulação em estruturas como a coluna, prejudicando a resistência e capacidade de regeneração desta estrutura. “Pessoas em situação de constante estresse tendem a apresentar dores articulares, na coluna e nos músculos. Pode-se afirmar que em 25% dos casos a causa única da dor na coluna é o estresse”, esclarece o ortopedista.

Com o ritmo de vida agitado, é difícil, mas não impossível evitar o estresse: adotar uma alimentação balanceada, dormir melhor e fazer exercícios físicos são essenciais, mas medidas simples como prestar atenção na respiração, manter uma boa autoestima e se desconectar de vez em quando também podem ajudar a acalmar a mente.

 

Sedentarismo – A vida, atualmente, é mais prática, sem grande necessidade de movimento. A falta de atividade física pode ser extremamente nociva para a coluna. Isso por que o sedentarismo interfere no metabolismo do disco intervertebral, que precisa de movimento para manter o equilíbrio vital das células. A equação é simples: a coluna vertebral é toda desenhada de forma a possibilitar o movimento. Na ausência deste, a tendência é a acomodação. E a acomodação, nesse caso, significa dor, muita dor.

Para evitar o sedentarismo, é óbvio: movimente-se. Toda atividade física é bem-vinda, mas algumas são mais interessantes, se a intenção for cuidar da coluna: caminhada, corrida, natação, dança, balé, musculação, equitação, ioga e pilates são alguns deles.

 
Má Postura – A estrutura que forma a coluna vertebral demanda um constante cuidado com a postura, na medida em que vícios posturais podem facilitar a ocorrência de doenças, como hérnia de disco, escoliose, artrose, entre outros. Pessoas que, usualmente, adotam posturas inadequadas tendem a criar maus hábitos, pois o cérebro se acostuma com a posição errada. Vale lembrar também que o calçado errado, usado constantemente, pode prejudicar a coluna, assim como bolsas e mochilas pesadas.

Nesse caso, a dica é se policiar na hora de sentar, dormir e caminhar. Com o tempo, a postura adequada virará um hábito. Para dormir, prefira a posição de lado, já que nesse caso a coluna fica alinhada. Usar o travesseiro na altura adequada e outro entre os joelhos também são medidas interessantes. Ao sentar, lembre-se de que a postura ideal é aquela que mantém um suave S na coluna.

 

Sapato e Bolsas - No caso dos acessórios, evite, sempre que possível, saltos muito altos ou utilize apenas durante poucas horas. Rasteirinhas também não são boas opções. Prefira sapatos que tenham 3 cm de salto. Já com relação às bolsas, o peso delas não deve ultrapassar 10% do peso corporal. As melhores para a coluna são as mochilas, já que distribuem melhor o peso. Se não for possível, alterne o tempo que carrega a bolsa em ambos os lados do corpo.
 
 

Pioneirismo - Cirurgia Minimamente Invasiva da Coluna

Em casos de indicação cirúrgica o paciente tem a possibilidade de procedimentos inovadores, as Cirurgias Minimamente Invasivas da Coluna. Tratamentos mais modernos que usam novas tecnologias, com pequenos cortes e visam diminuir os riscos e complicações cirúrgicas, focando sua ação na zona doente, que é a fonte da dor.

O professor doutor Pil Sun Choi, atual Chefe do Grupo de Cirurgia Minimamente Invasiva da Coluna (GCMIC) do Hospital BP Mirante (Beneficência Portuguesa), autor de uma tese premiada sobre cirurgias de coluna e responsável por trazer técnicas modernas e inovadoras dos EUA e Europa e Ásia no que diz respeito ao procedimento e Presidente do VI COMINCO juntamente com o dr. Wilson Dratcu, Presidente da Sociedade Brasileira de Coluna

Minimamente Invasiva (SBC-MISS), há anos trabalham na divulgação e apresentação dos procedimentos e, organizam a sexta edição do Congresso Brasileiro e Simpósio, que reúnem especialistas de todo o mundo para o debate das novas técnicas, e especialmente levar informação para a população em geral sobre esses procedimentos cirúrgicos já disponíveis e ainda pouco explorados (retirei).

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.