Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 15-09-2019 às 09:33

Voluntarias unidas no combate ao câncer

Você já pensou em fazer a diferença através do voluntariado? Se já, é possível que tenha dado os primeiros passos numa espécie de corrente do bem.

| Creditos: Divulgação

“Fazer o bem, sem olhar a quem”, esta frase tem sentido verdadeiro para os que se dedicam ao voluntariado. Recompensa?  Sim há várias, e elas vem de diversas formas intangíveis, sendo que a maior delas é a da  satisfação pessoal, por se sentir grandiosamente útil a uma causa. Em Mato Grosso as voluntárias da Rede Feminina Estadual de Combate ao Câncer, em seu cotidiano, vivenciam o quanto é gratificante o trabalho voluntário.

A rede nasceu em 1989, e foi a concretização do sonho de mulheres que ansiavam por prestar atendimento e assistência social aos pacientes carentes com diagnóstico de câncer.

Desde a fundação da Rede Feminina as voluntárias se dedicam às pessoas que necessitam de atendimento com carinho e amor, executando seu trabalho com excelência e credibilidade conquistadas junto à sociedade e aos parceiros e colaboradores.

O compromisso e seriedade com que o trabalho das voluntárias é executado foram reconhecidos pela Câmara Municipal de Cuiabá que declarou a Rede Feminina Estadual de Combate ao Câncer de Mato Grosso como Utilidade Pública Municipal em 1990 pela Lei n.º 2.776/1990. Em dezembro de 2013 veio o reconhecimento nacional, no plenário Ulysses Guimarães em Brasília, quando a Rede foi agraciada com a “Medalha Mérito Legislativo da Câmara de Deputados” pelos serviços prestados ao país.

Vejam as finalidades da Rede Feminina

  • Difundir conhecimentos gerais sobre o câncer, visando principalmente à prevenção;
  • Organizar campanhas e angariar donativos e contribuição para auxiliar na manutenção do Hospital de Câncer de Mato Grosso e demais instituições vinculadas à liga;
  • Auxiliar na assistência aos pacientes em tratamento no Hospital de Câncer de Mato Grosso e demais instituições de assistência;
  • Cooperar e manter intercâmbio com os poderes públicos e instituições privadas no que diz respeito à luta de combate ao câncer;
  • Prestar assistência odontológica aos pacientes oncológicos.

 

Este último item faz referência à belíssima história que iniciou em 2001 quando a Rede Feminina inaugurou o Departamento de Odontologia no Hospital de Câncer de Mato Grosso. Voltado à atenção à saúde bucal do paciente oncológico, o departamento assiste o paciente desde o diagnóstico até sua reabilitação protética. Assim, o serviço cumpre o importante papel de promover a qualidade de vida dos pacientes, prevenindo e reduzindo os efeitos adversos do câncer e de seus tratamentos e devolvendo ao convívio social pessoas cujo tratamento produziu mutilações estéticas e funcionais.

As voluntárias estão envolvidas em várias outras ações, respeitando o perfil e a disponibilidade de cada uma. Um grupo visita semanalmente os pacientes internados no Hospital de Câncer, promovendo apoio psicológico e amparo aos familiares – a proximidade com o paciente e seus familiares permite compreender suas dores e necessidades. Outro grupo trabalha continuamente na arrecadação de alimentos para o hospital, encaminhando semanalmente os alimentos demandados pela instituição.

Além de doações mensais das voluntárias, outras fontes de renda da Rede são as doações espontâneas; bazares onde são vendidas a preços populares roupas, sapatos e acessórios arrecadados; e o jantar anual de massas. A rede possui ainda uma loja de roupa infantil, e todo valor arrecadado com a venda de seus produtos é revertido para as ações em prol do paciente oncológico.

Após 27 anos de dedicação ao próximo, em 2016 a Rede está preparada para dar o próximo passo: A construção da sede e da casa de apoio ao paciente oncológico. Assim pacientes carentes do interior e de outros estados, bem como seus acompanhantes, terão condições mais dignas para enfrentar o câncer e seu tratamento. Isso será possível graças ao Projeto “Abastecida do bem”, que conta com a parceria do Hospital de Câncer de MT e do Posto Papito. Será a materialização do espírito de acolhimento e amor da Rede Feminina Estadual de Combate ao Câncer de Mato Grosso.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.