Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 19-10-2018 às 05:49

Profissão de mulher: piloto de helicóptero

Comandante Aline Ricci Maia tem uma rotina de trabalho nada habitual e nos ares

Aos 31 anos, a piloto corta os ares com seus passageiros e muita histórias para contar. | Creditos: Divulgação: Floter & Schauff Assessoria de Comunicação

As mulheres estão assumindo o comando de suas vidas, literalmente. Profissões antes dominadas por homens, hoje conquistam as mulheres que querem mais espaço e credibilidade das empresas dos mais variados segmentos.

No setor aeronáutico não é diferente. A Helimarte Táxi Aéreo, por exemplo, tem em seu quadro de pilotos de helicóptero a Comandante Aline Ricci Maia, 31 anos, piloto da empresa desde 2013. Seu dia a dia de trabalho é uma rotina pelos ares. Em cinco anos de carreira na Helimarte já carrega na bagagem mais de duas mil horas de voo, e muitas histórias para contar.

A comandante já transportou uma pequena caixinha de parafusos para uma empresa que estava com a produção parada; já presenciou pedidos de casamento em voos românticos e levou até as malas de um casal que seguia em outra aeronave, atrasados para um voo internacional.

Alguns passageiros se sentem mais seguros quando a aeronave é pilotada por uma mulher, pois muitos julgam que elas são mais atenciosas e detalhistas. Porém, o velho estereótipo de que mulher é “barbeira” ainda paira no ar e é justamente o preconceito que faz Aline se superar a cada dia.

 

A editoria Mulher em Destaque tem outras histórias para inspirar você. Leia aqui!

 

Jorge Bitar, comandante e fundador da Helimarte explica: “O homem vira comandante e o poder pode subir à cabeça. Diferente dela, que já sofreu tanta discriminação para conquistar seu emprego dos sonhos. Por isso estuda mais e é mais cautelosa no atendimento, na segurança, e no relacionamento com todos os colaboradores da empresa”.

Para Helimarte, ter uma comandante mulher é mais um passo em sua constante evolução, “Acredito que o preconceito com as mulheres é inaceitável, elas têm todas as condições de exercer qualquer trabalho, por isso buscamos mais profissionais femininas para nosso mercado assim como nossa comandante Aline”, afirma Jorge.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.