Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 21-08-2018 às 01:48

Carnaval e a importância de se prevenir das DSTs

Clamídia: doença silenciosa que pode levar à infertilidade

O Carnaval está chegando, e os alertas em torno das doenças sexualmente transmissíveis se intensificam. | Creditos: PixaBay

O Carnaval está chegando, e os alertas em torno das doenças sexualmente transmissíveis se intensificam. Algumas, como o HIV, já são bastante conhecidas. Porém, existe uma que não recebe muita atenção e que pode até levar à infertilidade: a clamídia. No Brasil, não há monitoramento da evolução da doença nos últimos anos, mas, segundo levantamento realizado em 2011 pelo Ministério da Saúde, quase 10% das mulheres entre 15 e 24 anos, atendidas pelo Sistema Único de saúde (SUS), estavam infectadas pela doença.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a clamídia responde por aproximadamente 25% dos casos de infertilidade – 15% nas mulheres, e 10% nos homens. Segundo a organização, a clamídia é reconhecida como a principal causa evitável de infertilidade.

Causada por uma bactéria, a doença age silenciosamente, provocando inflamações e lesões que comprometem o funcionamento dos órgãos reprodutivos femininos, em especial, as trompas de Falópio. Geralmente, a clamídia não apresenta sintomas, e isso faz com que a maioria das pessoas não se preocupe com ela.

“A trompa atingida pode perder tanto os mecanismos de captação do óvulo, como os de fertilização e posterior condução do embrião formado até o útero. Como consequência, a mulher pode ter dificuldade para engravidar ou ter uma gravidez nas trompas, que oferece riscos”, explica a ginecologista Cláudia Navarro, membro do corpo clínico do Laboratório de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas da UFMG e diretora clínica da Life Search. “Muitas mulheres que buscam tratamento para ter filhos descobrem que o motivo da dificuldade é uma alteração tubárea (das trompas) que pode ter sido ocasionada pela presença dessa bactéria”, complementa.

 

Camisinha é a principal prevenção

Usar preservativo em todas as relações sexuais ainda é a melhor maneira de se evitar a doença. Além de não apresentar sintomas, na maioria dos casos, a clamídia também não é facilmente diagnosticada em exames ginecológicos de rotina. Por isso, é preciso que a paciente peça ao médico exames de sangue específicos. Caso dê positivo, o especialista realiza raio-x das trompas para saber se o contato com a bactéria gerou algum dano. O tratamento é feito com antibióticos. Depois de curada, a mulher poderá engravidar normalmente. Nos casos mais avançados, pode ser necessária a retirada das trompas, e a única opção para engravidar são os métodos de reprodução assistida, como a fertilização in vitro.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.