Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 21-05-2018 às 03:02

É possível tratar o problema de varizes no verão

Angiologista explica sobre tratamentos e cuidados para evitar manchas nas pernas 

Não há nenhum problema a exposição do paciente durante uma caminhada ou atividades ao ar livre. | Creditos: PixaBay

Pacientes que buscam tratamento de varizes ou aqueles que dão continuidade a um tratamento sempre têm dúvidas sobre a realização de procedimentos no verão. 

Marcelo Monteiro, angiologista , cirurgião vascular e diretor da clínica Inovas no Rio de Janeiro, explica que sim “ é possível tratar varizes na estação mais quente do ano desde que a paciente se comprometa a evitar a exposição solar direta”.  

O médico afirma que não há nenhum problema a exposição do paciente durante uma caminhada ou atividades ao ar livre, por exemplo.  “É cada vez mais comum hoje lidarmos com pacientes que por hábito evitam a exposição solar para fins de bronzeamento. O que sabemos hoje é que o laser utilizado para o tratamento de vasos pode ser usado em peles morenas, mas deve ser evitado em peles bronzeadas”,alerta Dr. Marcelo.  

Uma recomendação é importante ser seguida: “o ideal é que tenhamos um período de pelo menos duas semanas sem bronzeamento, onde a pele esteja “fria”, para que possamos assim diminuir os riscos de efeitos indesejados como a pigmentação com o tratamento. Lidar com uma pele “estimulada” pelo sol pode aumentar esse risco”, afirma o angiologista.  

Após o tratamento, é ideal que se espere até o desaparecimento total das “marquinhas” consequentes ao tratamento para tomar sol.  “Isso pode levar entre 7 a 10 dias - para desaparecerem totalmente”, explica.  

Outra dúvida comum dos pacientes é se é possível praticar atividades físicas ou ir à praia durante o período de tratamento de varizes.  Dr Marcelo explica que “ é possível e também recomendado. Hoje utilizamos o termo “down time”, que se refere ao tempo de afastamento de suas atividades normais devido a um determinado tratamento. Mesmo o tratamento cirúrgico das varizes atualmente apresenta down time muito baixo. A angiologia que praticamos hoje na clínica tem um foco muito voltado para técnicas não cirúrgicas para o tratamento da doença venosa, interferindo muito pouco na rotina diária de nossos pacientes”.  

Sobre os resultados dos tratamentos disponíveis hoje para varizes, Dr Marcelo alerta que “a doença venosa é crônica e recidivante. Tem a genética como ponto central, sofrendo muita interferência dos hábitos de vida da paciente. Fatores com o tabagismo, o sedentarismo, o excesso de peso, o número de gestações e o uso de hormônios podem interferir negativamente. Costumo usar como exemplo que o tratamento dos vasos deve seguir da mesma forma como tratamos nossos dentes, sendo sempre necessário uma visita ao dentista. O intervalo entre essas visitas vai depender exatamente de como você conduz a sua saúde e esses fatores citados acima. O que conseguimos hoje são tratamentos muito mais duradouros, quando tratamos os vasos “causadores” dos microvasos”, esclarece o angiologista.  

Outro ponto importante é que se faz necessário acompanhamento médico contínuo para tratar varizes. “É necessário que haja uma avaliação precisa desde a primeira consulta, para que o tratamento seja conduzido desde o inicio da melhor forma. E depois é preciso manter uma manutenção constante, para que se evite o acúmulo de vasos. Se você “desistir” de tratar os vasos, o mais comum de acontecer é o acúmulo dos mesmos, o que vai dificultar atingirmos uma satisfação estética. É preciso estratificar bem a doença, para saber quais vasos precisam ser tratados, se existem veias nutridoras “alimentando" os vasinho, e dessa forma atuar com precisão e conseguir resultados satisfatórios no menor espaço de tempo possível”, finaliza Dr Marcelo Monteiro.   

 

Sobre o especilista

Doutor Marcelo Monteiro. Diretor clínico da Inovas ( Barra da Tijuca, RJ).  Graduado pela UFF. Fez Residência Médica em Cirurgia Geral e Videolaparoscopia pelo Hospital Orêncio de Freitas (FESP) e em Cirurgia Vascular pelo Hospital dos Servidores do Estado RJ.  Tem o Título de Especialista em Cirurgia Vascular pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular e Título de Especialista em Cirurgia Endovascular pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular. É Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.