Jornal Rosa Choque
Publicidade

6 principais dúvidas sobre o balão intragástrico

Para fazer uso do balão é necessário ser maior de idade e ter um Índice de Massa Corporal (IMC) maior que 27. | Creditos: PixaBay

A obesidade é um problema que cada vez mais se agrava em nosso País, crescendo em média 60% na última década de acordo com o Ministério da Saúde. Não à toa, o Brasil é a segunda nação que mais procura por métodos para emagrecimento no Google em 2017, segundo o próprio buscador.

 

Leia mais:

Como enfrentar um dia a dia cada vez mais barulhento?

Terminei o tratamento do câncer de mama, e agora?

 
Uma das sugestões oferecidas pelo buscador é o balão intragástrico, método apontado como capaz de proporcionar ao paciente um emagrecimento de até 20% do seu peso em seis meses.
 
Esse procedimento consiste na colocação de um balão por meio de endoscopia, realizada em ambiente hospitalar e com o paciente sedado. O balão é introduzido por via oral epossui um volume entre 400 ml a 700 ml, preenchido com soro fisiológico e azul de metileno. Todo o procedimento dura cerca de 20 minutos.

O membro da Comissão Científica da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), Dr. Eduardo Guimarães Hourneaux de Moura, esclarece alguns mitos e verdades sobre o balão intragástrico.

 
1) O paciente permanece o restante davida com o balão intragástrico?

Não. O paciente pode ficar entre 6-12 meses com o balão, na dependência do modelo empregado. Durante esse período, ele deve seguir acompanhamento com equipe multidisciplinar, que inclui: médicos clínicos, nutricionistas, psicólogos e preparadores físicos para que seus hábitos alimentares e comportamentais sejam alterados.
 

2) Qualquer pessoa acima do peso pode realizar esse método?

Não. É necessário ser maior de idade e ter um Índice de Massa Corporal (IMC) maior que 27. O ideal é que seja avaliado cada caso individualmente, contrabalançando benefícios e riscos.

 
3) Há algum outro benefício além do emagrecimento?

Sim. Por proporcionar o emagrecimento, o balão intragástrico também pode indiretamente auxiliar na prevenção de cânceres associados ao excesso de peso, como esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rins, ovário, endométrio e tireoide. Concomitantemente à mudança de hábitos de vida e perda de peso, há melhora nos níveis de diabetes, colesterol e pressão arterial.

 
4) É possível que esse procedimento traga efeitos colaterais?

Sim. Por ser um corpo estranho, o organismo pode apresentar sintomas como enjoos, dores abdominais e até vômitos nas primeiras 72 horas. As ocorrências podem ser tratadas com medicações efetivas que melhoram o quadro do paciente.

 

Curta o Portal Rosa Choque no Facebook


5) O paciente sofre algum tipo de corte ou precisa de curativos?

Não. O balão intragástrico é introduzido através da endoscopia. Ele permanece sedado durante todo o processo, que dura cerca de 20-30minutos, e não sofre nenhum corte na região.
 

6) Após o uso do balão, o paciente seguirá magro?

Dependerá se o mesmo compreendeu a necessidade de manter as mudanças de hábitos e vícios. Após a retirada do balão, até 75% dos pacientes reganham peso. Aqueles que adquiriram hábitos saudáveis, respondem de forma positiva.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.