Jornal Rosa Choque
Publicidade

Psicóloga explica a importância de preservar infância

“É importante estimular a criança a brincar e conviver com outras crianças, divertindo-se com ela em jogos, parques ou outras atividades para a idade dela”, comenta a psicóloga. | Creditos: PixaBay

Em 12 de outubro é comemorado o Dia das Crianças no Brasil. A data vem acompanhada de reflexão sobre as condições de vida das crianças ao redor do país. “Por conta da violência, as crianças muitas vezes acabam vivendo a infância dentro de casa ou em apartamentos, na companhia apenas de artifícios tecnológicos e redes sociais. Esta situação tem feito com que se afastem do contato com meninos e meninas da mesma idade e se envolvam com assuntos dos pais, partilhando preocupações e comportamentos, tornando-se mini adultos”, alerta a psicóloga do Grupo São Cristóvão Saúde, Aline Melo.

 

Leia mais:

Ensine a criança a ser feliz

Escola alerta de forma inusitada para doenças psiquiátricas

 

A profissional comenta ainda que até mesmo as próprias crianças que repetem atitudes mais adultas podem influenciar amigos ou primos que não querem ser excluídos do grupo. “É importante estimular a criança a brincar e conviver com outras crianças, divertindo-se com ela em jogos, parques ou outras atividades para a idade dela. Essa é uma fase que merece ser vivida plenamente, sem a necessidade de antecipar seu fim”, comenta.

Uma preocupação que muitos pais têm é quanto aos filhos quererem imitá-los com roupas e trejeitos. A psicóloga explica que isso é natural, mas que limites devem ser impostos para que seja um hábito saudável. O ideal é que se explique para ela que a infância tem possibilidades e aspectos tão legais quanto a fase adulta e que ela deve aproveitar cada uma em seu tempo.

 

Curta o Portal Rosa Choque no Facebook

 

Atualmente, a TV e as redes sociais sãos os principais influenciadores da sociedade, inclusive das crianças. Os pais devem prestar atenção às celebridades que os filhos acompanham, já que surgem desejos de vivenciar as mesmas viagens, comprar as mesmas roupas que o ídolo teen, e até mesmo as mesmas experiências de namoros. “Caso isso esteja acontecendo, é importante que os pais percebam e orientem a criança de maneira adequada”, aconselha Aline. Quanto mais preservarmos a infância, mais contribuiremos para uma geração de adultos saudáveis.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.