Jornal Rosa Choque
Publicidade

O que fazer quando o procedimento estético dá errado?

Preenchedores faciais e uso da toxina botulínica podem ter efeitos desastrosos, se não forem executados com precisão e qualidade profissional

O comportamento dos pacientes também pode ser apontado como motivo para resultados indesejados. | Creditos: PixaBay

“O preço da vaidade pode sair muito caro”, alerta Alexander Nassif, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). De acordo com o cirurgião plástico, “a popularidade dos preenchedores faciais e da toxina botulínica (o famoso BOTOX®) vem aumentando consideravelmente. Isso porque esses tratamentos são mais simples, rápidos e quase sem períodos para recuperação quando comparados com as cirurgias convencionais. Ele pondera, todavia, que se entregar ao bisturi ou injeções é algo a ser feito cautelosamente e revela que também tem crescido a procura por pacientes que desejam reparar resultados negativos de procedimentos realizados por profissionais que não estão devidamente habilitados.

 

Leia mais:

5 tratamentos que são tendências no mundo da cosmetologia

Tratamentos não invasivos para realizar na primavera

 

Para Nassif, é fundamental que todos entendam que, mesmo técnicas pouco invasivas exigem cuidados. “O uso indiscriminado de toxina botulínica, produtos para preenchimento, LASER e outros gera riscos e pode causar danos severos”, pontua. Ele lembra, ainda, que é comum vermos imagens de famosos que se arrependeram de procedimentos que deram errado, seja por excesso, produtos inadequados ou imperícia médica. "Dentre as complicações temos as  mais comuns, como a formação de granulomas, nódulos que sofrem inflamações recorrentes; e as assimetrias; mas também as mais graves como a necrose de tecidos”.

O comportamento dos pacientes também pode ser apontado como motivo para resultados indesejados. “Algumas pessoas não informam sobre os procedimentos já realizados no passado, mesmo após o questionamento direto do médico, e muitos tratamentos prévios podem interferir com os novos tratamentos”, comenta Nassif. Por isso, algumas dicas são essenciais para evitar transtornos antes, durante e após os procedimentos.

 

Bom senso é fundamental

Atire a primeira pedra quem não leu manchetes em que celebridades que aplicararam  mais BOTOX® ou preenchedores do que deveriam? “O excesso de produto e técnicas inadequadas podem resultar em assimetria e perda de expressões faciais. Por isso, bom senso é fundamental. Rugas e marcas de expressão fazem parte de um processo natural da pele e não adianta buscar eliminá-las completamente. Envelhecer com qualidade é diferente e mais saudável do que tentar voltar a ser adolescente a todo custo”, afirma.

 
E se deu errado?

Se você já realizou o procedimento e percebeu que exagerou na dose ou que o resultado não está exatamente como você imaginou, existem algumas soluções. “Uma vez que o BOTOX®  tem resultado temporário, uma opção é simplesmente esperar o efeito passar. No caso dos preenchedores, o acompanhamento médico é fundamental, pois cada tipo de preenchedor necessitará de um tipo de cuidado especial”, explica o cirurgião plástico. Ele lembra que cada caso deve ser avaliado individualmente.

 

Curta o Portal Rosa Choque no Facebook

 

Escolha um especialista

A escolha de um profissional devidamente habilitado é fundamental para o sucesso e realização dos procedimentos e técnicas adequadas.  Consultar se o profissional faz parte da SBCP é o primeiro passo e buscar por recomendações e opiniões de quem já foi atendido pelo especialista também pode facilitar a escolha para realização dos procedimentos desejados.
 

Sobre Alexander Nassif

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Alexander Nassif tornou-se especialista em Cirurgia Plástica titulado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e pela Associação Médica Brasileira (AMB). É diretor da Clínica Refine, especializada em Cirurgia Plástica Minimamente Invasiva, Endocrinologia e Fisioterapia Dermatofuncional. O médico também atua como professor convidado da UFMG na área de Cirurgia Plástica, Trauma e Urgências Cirúrgicas e ainda é membro internacional da American Society of Plastic Surgeons (ASPS).

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.