Jornal Rosa Choque
Publicidade

Financiamento coletivo busca digitalizar clássico brasileiro

'Um Céu de Estrelas' é o primeiro longa-metragem da premiada cineasta Tata Amaral. Por meio do financiamento coletivo, o filme será relançado e disponibilizado ao público

“Um Céu de Estrelas” faz parte da safra de filmes da chamada Retomada do Cinema Brasileiro, os quais ajudaram a resgatar a crença de que era possível produzir audiovisual no Brasil. | Creditos: Divulgação: Tangerina Entretenimento

Considerado um dos três filmes brasileiros mais importantes da década de 1990 pela crítica especializada, ao lado de “Central do Brasil”, de Walter Salles, e “Alma Corsária”, de Carlos Reichenbach, “Um Céu de Estrelas” (1996) foi um marco da Retomada do Cinema Brasileiro e assinalou a estreia da premiada cineasta Tata Amaral na direção de longa-metragem.

Leia mais:

Prorrogadas as inscrições do Prêmio Retratos da Leitura

Pré-estreia é marcada por debate sobre cultura transgênero

A obra foi lançada nos cinemas em 1997 e distribuída comercialmente em VHS. Entretanto, suas cópias em película encontram-se deterioradas. Apesar disso, “Um Céu de Estrelas” é um dos filmes brasileiros mais baixados na internet hoje, por meio de versões não-oficiais de baixa qualidade.

Em comemoração aos 20 anos de seu lançamento comercial, sua equipe decidiu lançar uma campanha de financiamento coletivo, com o objetivo de possibilitar que o filme seja digitalizado profissionalmente e torne-se acessível novamente ao público.

 

- Apoie o projeto! Faça sua doação no Catarse


“Um Céu de Estrelas” marcou época. Com uma temática ousada e linguagem inovadora, a câmera capturava a mise-en-scène como se fosse uma cena de documentário, causando a sensação de urgência. O filme conta a história de Dalva (Leona Cavalli), uma cabeleireira do bairro da Mooca, São Paulo, que ganha em um concurso de penteados uma viagem a Miami. No dia de sua partida, seu ex-noivo, Victor (Paulo Vespúcio Garcia), invade a sua casa e faz dela e da mãe reféns de seu desespero.

A estreia internacional do filme ocorreu em 1996, no Festival de Toronto, e, a partir dali, percorreu importantes festivais, como Berlim, Roterdã, Havana e Boston. No Brasil, o longa que apresentou a cineasta Tata Amaral ao grande público estreou no Festival de Brasília, no qual conquistou os prêmios de melhor direção, roteiro, edição de som e menção especial pelo Júri da Unesco.

“Um Céu de Estrelas” faz parte da safra de filmes da chamada Retomada do Cinema Brasileiro, os quais ajudaram a resgatar a crença de que era possível produzir audiovisual no Brasil. Após o impeachment de Fernando Collor, presidente que extinguiu as políticas públicas para cinema e cultura no país, os mecanismos de apoio foram sendo reconstruídos, e teve início uma lenta retomada da produção de filmes. "Um Céu de Estrelas" está entre os 16 longas-metragens realizados em 1996 no país - número baixíssimo, se comparado aos 143 longas produzidos em 2016.

Curta o Portal Rosa Choque no Facebook 

 

Preservação da memória do cinema brasileiro

Grande parte do acervo de filmes fundamentais da cinematografia brasileira ainda permanece sem digitalização, consequentemente, inacessível ao público. É o caso de “Um Céu de Estrelas". “Não existem investimentos públicos ou privados para restauro e digitalização de longa-metragens, por isso optamos pelo financiamento coletivo. Queremos tornar o filme acessível ao público novamente e também contribuir para a preservação da memória do cinema brasileiro”, afirma a diretora Tata Amaral.

A campanha tem como primeira meta arrecadar R$ 117.837,29. Esse valor cobrirá os custos do procedimento de digitalização de película, que envolve desde o trabalho minucioso de transposição do negativo até a reconstrução do áudio para os padrões técnicos atuais. Se a primeira meta financeira for atingida, a equipe pretende continuar a arrecadação até alcançar os valores necessários para o lançamento do filme em DVD (R$ 8.757,46) e o relançamento nos cinemas (R$ 30.968,40).

As contribuições para a digitalização do filme podem ser feitas pelo site Catarse, que desde o dia 4 de setembro está recebendo  valores a partir de R$ 20. Para conhecer mais sobre este trabalho e saber como colaborar, acesse a página da campanha no Catarse ou acompanhe as redes sociais do filme.

 

 

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.

Tata Amaral . 13-09-2017 14:44hs

Muito obrigada pela ajuda na campanha. "Um Céu de Estrelas" é meu primeiro filme e discute a violência contra mulher. Infelizmente, continua atual até hoje. Vamos nos unir e tirar o Brasil deste lugar horroroso que faz com que seja o 5º país no mundo em violência contra as mulheres. Colabore com o cinema nacional! Colabore com a digitalização do filme.