Jornal Rosa Choque
Publicidade

Iniciativa seleciona projetos ambientais que buscam apoio financeiro

Propostas relacionadas à conservação da natureza brasileira podem ser inscritas até 31 de agosto no site da Fundação Grupo Boticário

Bioma Pantanal é contemplado no edital "Apoio a Projetos" | Creditos: Haroldo Palo Junior

A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza abriu as inscrições para a segunda chamada de 2017 de seu ‘Programa de Apoio a Ações de Conservação’. Para essa edição, é possível concorrer em três categorias: ‘Apoio a Programas’, com abrangência nacional; ‘Biodiversidade do Paraná’, focado na natureza paranaense; e ‘Apoio a Projetos’, destinado a Áreas Úmidas. As inscrições ficam abertas até 31 de agosto, no site da instituição.

 

Leia mais:

Circuito Cultural Ademilar movimenta Curitiba

Get Ready For promete agitar e promover ações do bem 

 

“Por meio desse apoio, buscamos potencializar a geração de conhecimento sobre a biodiversidade brasileira, além de estimular aplicações práticas que promovam a sua conservação e que complementem os esforços públicos”, afirma Malu Nunes, diretora executiva da Fundação Grupo Boticário. Ela explica que, ao longo de seus 26 anos, a Fundação consolidou-se como uma das principais instituições da iniciativa privada brasileira a apoiar projetos de conservação da natureza. Desde 1990, 1.510 iniciativas de 501 instituições receberam apoio financeiro, contribuindo para a descrição de 150 espécies, para o estudo de outras 246 espécies ameaçadas e beneficiando 496 unidades de conservação.  

 

Linhas de apoio

O ‘Apoio a Programas’ abrange iniciativas realizadas em todo o Brasil, de média e longa duração (até quatro anos), que possibilitem ações de conservação da natureza de maior magnitude e que demandem mais tempo para aplicação.

O Edital ‘Biodiversidade do Paraná’, criado em parceria com a Fundação Araucária, seleciona propostas a serem executadas em qualquer região paranaense, como por exemplo, a área de ocorrência da Floresta com Araucárias, ecossistema característico da Mata Atlântica.

Nesta chamada do segundo semestre de 2017, a categoria ‘Apoio a Projetos’ seleciona iniciativas que contribuam para a conservação das Áreas Úmidas – que representam cerca de 20% do território brasileiro e englobam ecossistemas tanto marinho e costeiros quanto continentais, abrigando uma grande variedade de ambientes e espécies.

Mais especificamente, o edital ‘Apoio a Projetos’ contempla o Bioma Pantanal, considerado uma das maiores extensões úmidas contínuas do planeta; os 20 Sítios Ramsar nacionais, que são áreas úmidas de importância mundial, a exemplo do Parque Nacional de Anavilhanas (AM) e da Estação Ecológica do Taim (RS); além de baías e estuários e locais de menor abrangência geográfica com influências fluviais e fluviomarinhas, áreas alagadas, lacustres e charcos.

Segundo a diretora da Fundação Grupo Boticário, gerar conhecimento sobre a biodiversidade do Pantanal e das demais áreas úmidas e promover a sua conservação é importante inclusive para a economia e qualidade de vida dos brasileiros. “Isso porque as áreas úmidas regulam o regime hídrico de vastas regiões atendendo a necessidades de água e alimentação, e também auxiliam nossa sociedade a lidar com eventos climáticos extremos – a exemplo das formações pioneiras costeiras que reduzem o impacto das grandes ondas de ressacas sobre as cidades litorâneas”, complementa Malu Nunes.

 

Curta o Portal Rosa Choque no Facebook

 

Linhas temáticas

Para concorrer em qualquer uma das três categorias, é preciso que as propostas atendam a uma das quatro linhas temáticas de apoio. A primeira trata de ‘Unidades de Conservação de Proteção Integral e Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs)’ e tem como objetivo a criação, ampliação e execução de atividades prioritárias de seus Planos de Manejo (documentos oficiais de planejamento das unidades de conservação).

A segunda linha visa a execução de ações prioritárias para espécies ameaçadas, seguindo os Planos de Ação Nacional (PANs), documentos que elencam ações prioritárias para conservação de determinadas espécies e ecossistemas, além de ações emergenciais para espécies sem PANs e enquadramento de espécies em listas de ameaças.

A terceira, ‘Ambientes Marinhos’, é voltada para estudos, ações e ferramentas para a proteção e redução de pressão sobre a biodiversidade marinha.

Já a linha ‘Políticas Públicas’, que é exclusiva para ‘Apoio a Programas’, visa à implementação e fortalecimento de incentivos para conservação da natureza, instrumentos legais para fiscalização e proteção da biodiversidade, consolidação de áreas protegidas e parcerias para conservação.

 

Inscrições

Podem se inscrever nas três categorias do Programa de Apoio a Ações de Conservação da Fundação Grupo Boticário instituições sem fins lucrativos, como fundações ligadas a universidades e organizações não governamentais (ONGs). Para a categoria ‘Biodiversidade do Paraná’, instituições privadas e públicas também podem se candidatar, por meio do site da Fundação Araucária. Dúvidas podem ser encaminhadas por e-mail para edital@fundacaogrupoboticario.org.br.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.