Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 18-11-2018 às 19:24

Coreia do Sul faz sucesso com cosmético de alga e "gosma de lesma"

País está na vanguarda da pesquisa por produtos de beleza, cujas exportações estão crescendo

Produto a base de gosma de lesma estimula a formação de colágeno e elastano | Creditos: Reprodução

Se você nunca usou um creme facial coreano feito de gosma de lesma, não sabe o que está perdendo.

Da mesma forma, se nunca usou por duas horas uma máscara facial feita de algas marinhas.

A Coreia do Sul é um país obcecado por tratamentos de pele. As sulcoreanas gastam o dobro das americanas com produtos de beleza. E os coreanos, mais do que qualquer outro homem no mundo.

E, por esta razão, o país está na vanguarda da pesquisa por produtos de beleza, cujas exportações estão crescendo.

Só no ano passsado, o setor vendeu mais de US$ 2,64 bilhões ao exterior, contra US$ 1,9 bi em 2014, e US$ 1 bi em 2012.

Boa parte vai para os Estados Unidos, onde cosméticos coreanos já ganharam até um apelido: "K-beauty".

Parte do charme está em ingredientes nada tradicionais no mercado ocidental.

Gosma de lesma

A gosma de lesma, por exemplo, supostamente estimula a formação de colágeno e elastano, para hidratação e tratamento de espinhas.

Empresas como Glow Recipe, pertencente às coreano-americanas Sarah Lee e Christine Chang, ambas ex-funcionárias da gigante L'Oreal, é uma das principais importadoras de ingredientes para "K-beauty" nos EUA.

A empresa também usa cogumelos "ultra-hidratantes" e algas marinhas, aplicadas em máscaras que são campeãs de venda e custam US$ 14 o pacote.

Os tratamentos coreanos de beleza, porém, não seguem a regra básica de seus concorrentes ocidentais.

No lugar dos três passos, limpeza-tonificação- hidratação, os coreanos usam 10, incluindo elementos como essência, ampolas e máscara.

Megan McIntyre, diretora de beleza e estilo de vida no site novaiorquino refinery29.com, diz que a maioria das mulheres americanas não consegue manter os 10 passos comuns às coreanas.

"Depois de um tempo, as americanas ficam cansadas", diz.

Por isso, empresas americanas, como a Peach and Lily, fazem curadoria online para quem quer usar produtos K-beauty. E, geralmente receitam apenas 5% dos cosméticos provenientes do país asiático em mercado.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.