Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 22-07-2019 às 23:19

Os Tartans da Burberry

A consultora de moda e  imagem Adriana Telles fala sobre o tartã, padronagem que desde o século XVIII faz parte da moda

O Tartã muitas vezes é levado, consumido e diluído por outros países, sem a emoção das raízes históricas neles cravadas, | Creditos: shutterstock e divulgação

 

Tartãs são as estampas quadriculadas de origem escocesas, conhecidas como xadrez e confeccionadas desde o ínicio do século XVIII, com qualidade elogiável por seus observadores e visitantes da Escócia.

A escolha das cores dos fios para criar os tartãs, dependia da disponibilidade local de corantes, e  assim, passaram a ter padrões baseados na geografia, mais tarde foi associado aos clãs de cada região e por fim, aos sobrenomes.

O pano do tartã não tinha costura era apenas um longo retângulo chamado plaid, os homens usavam como manto e as mulheres como xale.

No século XVIII os tartãs foram transformados em Kilt e ficou conhecido como o símbolo de lealdade nacional dos Highlands. Mas, foi usado também pelos highlands que apoiavam a monarquia Stuart, conhecidos como Jacobinos. Por isso, em 1946, foi proibido pela Lei de Desnudamento, para impedir que os Jacobinos obtivessem mais apoio, esse fato causou muita revolta.

Em 1981, a revolta Jacobina já havia passado e a lei do Desnudamento foi revogada, permitindo que os trajes dos Highlands voltassem a ser usado como símbolo cultural que se estendeu além das fronteiras da Escócia.

O tartã dos Stuarts funcionava como brasão da dinastia e é assim identificado até hoje, outras famílias nobres como: MacDonald of Keppach, MacArthur, MacColl, Ulric, Cumin, MacRae, MacMillan, também tinham seus tartãs conhecidos e respeitados na Escócia e Inglaterra.

Ao falarmos de Tartãs o destaque atual vem para a Burberry, marca britânica reconhecida no mundo pelo seu Tartã criado em 1920. Atualmente a Marca oferece no comércio vários outros tartãs, que são variações do principal e desejados por pessoas de todos os países, como símbolo de status e poder. Essas variações ganharam nomes próprios, tais como:

Exploded: Tartan explodido normalmente em cores metálicas como prata

Haymarket: Tartan clássico com um Cavaleiro Equestre Burberry em vermelho

House: Tartan clássico sem o Cavaleiro Equestre Burberry.

 Horseferry: Tartan clássico com um Cavaleiro Equestre Burberry em bege

Nova: O mais novo e maior desenho Tartan. Tem um fundo creme / tan com listras verticais e horizontais pretas e cor de rosa / vermelho.

Smoked: Tartan clássico numa cor mais escura e sem o Cavaleiro Equestre Burberry

Supernova: Maior ainda que o desenho Nova

The Beat: Tartan clássico em preto e branco

 O Tartã muitas vezes é levado, consumido e diluído por outros países, sem a emoção das raízes históricas neles cravadas, sendo visto apenas como um pano xadrez.  Porém, na Escócia esses mesmos panos, sempre lembrarão as antigas batalhas e honrarão antepassados ao vestirem seus escoceses e divulgarem sua cultura através dos tempos.

 

Adriana Telles é consultora de moda e  imagem, personal stylist e visagista

www.adrianatelles.com.br

Foto: Varella Produções

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.

ednalva . 27-07-2016 11:32hs

Olha muito interessante que bom saber