Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 20-05-2019 às 18:38

Os direitos e deveres na Educação Especial

Especialista fala sobre o papel da escola e dos docentes em relação a esses alunos

É papel da escola contribuir para o crescimento dos valores do aluno como pessoa e mais tarde profissional que valoriza o ser humano independente de suas especificidades | Creditos: shutterstock e divulgação

Há alguns anos o Brasil luta pela implementação de políticas públicas, entre elas leis, planos e diretrizes, com o objetivo de melhorar a qualidade do ensino para as pessoas com deficiência e que estão ou deveriam fazer parte da escola. Para Ana Regina Caminha Braga, psicopedagoga e especialista em educação especial e em gestão escolar, é necessária a criação de uma nova visão e postura em sala de aula, para que esses alunos possam realmente aprender.

“É fundamental a elaboração de uma nova visão e postura dos professores em sala de aula, considerando a característica, os estilos de aprendizagem e especificidades de cada pessoa para que o aprender não seja privilégio de alguns, mas de todos os alunos”, explica.

A deficiência deve ser considerada pelo professor como um fato e não uma barreira. Apostar nas relações sociais informais, segundo a educadora, também ajuda o aluno com deficiência. “É papel da escola contribuir para o crescimento dos valores do aluno como pessoa e mais tarde profissional que valoriza o ser humano independente de suas especificidades”, comenta.

Para a especialista, é fundamental que todos estejam conscientes do trabalho a ser desenvolvido com os alunos em sala de aula atendendo cada um dentro de suas possibilidades de desenvolvimento cognitivo, afetivo e social. Atualmente a Educação tem as leis e demais amparos legais para prosseguir com a Educação Especial dentro das escolas.

Aos poucos, a educação vai progredindo, o que não evita algumas limitações e desconfortos para as pessoas com deficiência no processo do aprender e em sala de aula no convívio com os professores e alunos.  Por isso, devemos manter a conversa sobre a pessoa com deficiência, para inseri-la no meio social em que faz parte, pois ela merece ser ouvida tanto quanto as demais. “A escola precisa estar atenta para o desenvolvimento dos alunos de maneira integral, ou seja, em sua completude, pois somos seres que pensam, sentem, agem e interagem com o meio em que vivemos”, completa Ana Regina.

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.