Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 22-09-2019 às 06:02

Galeria

Projeto visa atrair o turismo sustentável na região do Pantanal


O Centro de Pesquisa do Pantanal (CPP), promoveu nesta semana a 7ª Oficina Capacidade de Suporte e Sustentabilidade do Turismo no Pantanal para um grupo de pessoas envolvido com o turismo do município de Barão de Melgaço MT. O evento faz parte do  projeto Ciência e Sociedade no Pantanal: Integrando Conhecimentos para a Sustentabilidade Socioambiental, e tem como objetivo viabilizar o fomento do turismo consciente na região, através do mapeamento de fragilidade de regiões e suas capacidades para exploração.

 O evento iniciou com a apresentação do projeto pelo pesquisador Prof. Edvaldo Moretti, da Universidade Federal da Grande Dourados MS (UFGD), onde foi destacada a importância de atrair o turista. "Pode ser que o visitante venha por algum evento específico como, por exemplo, religioso ou até mesmo a pesca, mas se não encontrar outras opções ele vai embora. Se tivermos produtos atraentes ele permanece ou retorna mais vezes", disse Moretti.

 Divididos em grupos, os participantes discutiram as propostas oferecidas, a estrutura e organização necessárias para atender às necessidades do público consumidor. Uma das maiores preocupações dos envolvidos nesta ação é a preservação do meio ambiente e seus recursos naturais.

Os dados e informações foram obtidos através de um trabalho conjunto do grupo de pesquisadores e colaboradores que integram as redes do CPP, em visitas técnicas para mapeamento dos locais que oferecem algum atrativo para os visitantes. Em seguida, os dados foram trabalhados para obter um mapa da região rural e possíveis rotas para visitação, que são utilizados para os trabalhos durante a oficina.

Vale ainda lembrar que as rotas pré-estabelecidas foram utilizadas para a criação de uma metodologia e que podem ser alteradas conforme a necessidade e disponibilidade dos moradores, empresários e turistas. "Uma vez que o turista vem a Barão de Melaço, é uma porta aberta para novas oportunidades, podemos oferecer novos roteiros", completou Gizelle Prado da Silva Fonseca, da Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso (SEDUC), pesquisadora que integra o grupo e que coordenou a produção dos mapas.


Atualmente, o município é conhecido pela atividade de pesca, mas que em determinadas épocas não pode ser exercida, como na piracema. Durante esse período, o turismo de contemplação assume o papel de 'carro-chefe' da economia local.

Marcos Antônio de Souza reside na cidade há 32 anos, e há 4 comanda um restaurante no local. Marcão, como é conhecido também já trabalhou durante 23 anos no ramo da hotelaria regional e reforça o engajamento do Poder Público com os empresários para o desenvolvimento econômico.

Para o Coordenador de Pesquisa e Planejamento do Turismo do Estado de Mato Grosso, Diego Augusto Beserra, essa união entre todos é fundamental para o sistema funcionar. "Em primeiro lugar é preciso planejar e depois investir na infraestrutura e divulgação. É como nossa casa, organizamos tudo antes da visita chegar", diz Beserra que aposta no potencial de Barão de Melgaço pela sua proximidade à capital matogrossense e por ser uma área 100% localizada no Pantanal.

Dentre as instituições parceiras do evento, estava presente a  Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), no ato representado pelo Supervisor Local, Hudson da Silva Paes, que defendeu a preservação histórica dos elementos culturais da cidade. "Precisamos incentivar as manifestações culturais para que o turista tenha um atrativo a mais. No período noturno não temos uma programação para quem vem de fora, como apresentações de siriri e cururu. Nosso povo está deixando de lado a tradição", disse.
Paes ressalta ainda que a sociedade está entendendo a importância dessa organização e em relação a primeira oficina oferecida o público está mais participativo.

A professora Dra. Silvana Lucato, da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul-UEMS, uma das coordenadoras do projeto propôs aos participantes que fossem introduzidos no calendário da cidade eventos como "Dia do peixe" e rotas de produtos característicos da região. "Temos um exemplo no Sul do país, com as famosas "Rota do queijo e do vinho" que atraem visitantes brasileiros e de outras nações", exemplificou Silvana. 

Esse projeto é desenvolvido pelo CPP, é financiado pelo MCTIC - Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, e conta com diversos pesquisadores vinculados a instituições parceiras como por exemplo a Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul-UEMS e Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT.

Após Corumbá /MS e Barão de Melgaço MT, o grupo esta articulando a possibilidade de envolver outro município de Mato Grosso, para receber essa oficina. Segundo Silvana, Corumbá foi trabalhada em seu aspecto urbano, Barão na área rural.