Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 20-07-2019 às 09:25

Galeria

Voluntários contribuem em evento beneficiente e pedem doações para cirurgias de crianças com fissura labial em Cuiabá.


Um a cada 700 bebês nascidos vivos possuem fissura de lábio e/ou palato no Brasil. E em Cuiabá existem dois centros de tratamento de fissurados atendidos por meio da ONG americana Smile Train desde 2007, e que agora tem uma frente de trabalho voluntário local e que busca doadores na cidade, por meio de apadrinhamento.

Em Cuiabá não existe uma sede, apenas um grupo de voluntários, coordenado pelo jornalista Menotti Griggi, que busca novos parceiros que possam aderir ao projeto da Smile Train, com doações de qualquer valor para ajudar no tratamento das crianças com fissuras na cidade, que vivem com dificuldade de comer, respirar e falar. 

Seja um doador e distribua sorrisos, com o projeto Cuiabá 300 anos, muitos sorrisos! Convida Menotti Griggi, voluntário na capital mato-grossense. 

“Conheci o projeto da Smile Train no ano passado, porque o Troy [Reinhart], vice-presidente, esteve em Cuiabá. Me apaixonei pelo projeto, falei que eu gostaria de ajudar na arrecadação de fundos para a iniciativa”, contou Menotti.

Foi então que o jornalista teve a idéia e a colocou em prática, onde fez um evento beneficente para 50 pessoas, que ocorreu no dia 18 de abril, no Restaurante Mahalo, onde mulheres renomadas dentre elas, Sueli Batista, Mariza Bazo, Zilda Zompero e Margarethe Nunes abraçaram esta linda causa de amor e ajuda ao próximo.

O fato de ter se tornado pai adotivo há três meses, também abriu o coração de Menotti para que ele olhasse para essas crianças de maneira diferente, devolvendo sorrisos a cada uma delas. Além do evento, Menotti tem um projeto para a criação da “Casa do Sorriso”, um lar de acolhimento para pacientes que vêm do interior em busca de atendimento.

“Eu sempre gostei muito de criança e, desde o ano passado, queria fazer um projeto voltado para elas. O fato de eu ter me tornado pai adotivo também mexeu muito comigo. Juntou tudo isso e resolvi ser um voluntário da causa”, disse o jornalista.

As cirurgias, que inclui todo o tratamento multidisciplinar, com fonoaudiólogo, dentista, nutrólogo e psicólogo, custam um valor simbólico de R$ 800 por criança e deve seguir até os 18 anos de idade. E neste momento o terceiro setor e os voluntários são os principais aliados para essa ajuda.

O objetivo do projeto “Cuiabá 300 anos, muitos sorrisos” é ter padrinhos ou madrinhas que adotem a ideia, por meio da doação em dinheiro de qualquer valor para ajudar uma criança que necessite da cirurgia de fissura de lábio ou palato. Na campanha inicial foram obtidos R$ 30 mil, doados por 50 pessoas que abraçaram esta causa social. 

A Smile Train ajuda dois Centros de tratamento de fissurados em Cuiabá.  A Fundação Uniselva, localizada no Hospital Universitário Julio Muller e o Hospital Geral Universitário.

“Por meio dessas parcerias conseguimos ajudar desde 2007 a mais de 1.200 crianças nascidas com fissura lábio palatina em Cuiabá. Nosso trabalho junto a esses parceiros os habilita a sempre proporcionar um tratamento integrado de alta qualidade e segurança para essa população”, destaca Mariane Manfredini Goes, diretora da Smile Train América do Sul.

A Smile Train atua em mais de 75 países e já esteve em mais de 85 pelo mundo. A matriz fica em Nova York, e existem escritórios na China, Índia, Indonésia, Filipinas, África, Brasil e México.

Mais informações (21) 97285-4971, com Menotti.

 

Fonte: Beatriz Saturnino - Jornalista e Assessora de Imprensa / Menotti Griggi - Jornalista / Portal Rosa Choque.

Fotos: Arthur Passos. 

Colunista de eventos: Carla Nunes.